Menu Central

Propaganda Monumenta

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

A cultura das TAPES no metal extremo não esta morta!


       É comum ouvir em muitos meios do Underground hoje: “é cara você sabe que Tape esta sumindo” “é esse lance de Tape não existe mais o lance é CD mesmo não tem para onde correr”.
Muitos são os discursos sobre a extinção do circuito de trabalhos lançados em TAPE, esse discurso é fortemente alimentado por aqueles que ganham algo de uma forma ou de outra com a fabricação e circulação de CDs, ou então caem no puro e simples comodismo daquilo que é mais fácil e pratico. Ok, que o trabalho CD tem uma qualidade técnica superior aquelas encontradas em TAPES e é muito, extremamente mais fácil encontrar um som que role um CD do que TAPES. Mas, que porra é essa?! Que merda de underground é esse que se conforma com o mais fácil?
Em minha opinião o Black Metal e suas variantes do metal extremo vieram dessa cultura assim como do vinil (deste eu falarei em outra ocasião) nós fazemos sons decrépitos, sons em degeneração, como eu costumo dizer, sons para poucos e não hinos para uma massa.
Ainda hoje existem labels que tentam fazer trabalhos em Tape estes estão resistindo por que poucos amantes ainda gastam seu dinheiro com isso ao invés de CDs, creio que aqueles que ouviram Tapes, há uma década sabem a diferença em termos de essência subjetiva do som de uma Tape para o som de um CD. Como sabemos as Tape se degeneram como o tempo vão levando o som embora com elas, assim como deve acontecer com a escuridão de hordas extremas, o próprio som degenera a matéria, e nesse circulo encontramos hoje trabalhos de hordas relativamente novas que estão lançando apenas em Tape mantendo suas obras restritas. Não estou aqui apontando hordas do Underground que lançam CDs, pois vejo que muitas se esforçam muito para fazer isso, pois não tem condições de fazer em Tape até por que em alguns lugares do Brasil não é possível comprar nem mesmo as Cassettes virgens para que sejam feitas as gravações, mas isso acontece apenas pelo comodismo se todos que gostam de Tapes não desistissem disso e continuassem a comprar gravar só assim isso pode acontecer, pois infelizmente no sentido físico estamos presos a fabricas e o velho $$$ para ter algo. Por outro lado vejo muito esforço desprendido em coisas inúteis, muitos caras optam a comprar um objeto qualquer que não faça partes de suas necessidades à procurar em alguma loja da sua cidade ou até mesmo pela internet um som que role tape, que não custa caro, ou até mesmo mostrar seu incentivo as Hordas que promovam seu material nesse formato.
Não sou uma porra de tradicionalista duro que vive no passado, sei das vantagens que temos com tudo de novo que vem a cada dia, mas não esqueço de coisas de qualidade que foram feitas, que apenas por que estão no passado não quer dizer que irei deixar de gostar delas, ou aceitar aquilo que me imposto, pois é isso que acontece sempre que uma mídia nova surge a anterior começa gradativamente a deixar de ser fabricada, mesmo que você em sua particularidade tenha encontrado uma utilidade especifica para aquela mídia e veja em sua sucessora avanços que não são de seu interesse.
Por este motivo eu compro Tapes, faço sons em Tapes, por que acredito neste tipo de formato, faço minha parte, e posso dizer que no meu universo a cultura das TAPES no metal extremo não esta morta!


*Imagens retiradas de meu acervo pessoal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...